Meu gato se machucou e está com dor 3


Share

Meu gato se machucou e está com dorMeu gato se machucou e está com dor! Os animais de estimação estão cada vez mais presentes em nossas vidas e são considerados por muitos como membros da família, afinal tamanha é a intimidade entre as pessoas e seus pets. Mesmo que, na maior parte do tempo, eles nos proporcionem momentos de alegria e afeição, há situações desagradáveis que podem acontecer e, infelizmente, fazem parte do convívio familiar. Assim como nós, os animais também estão suscetíveis a acidentes diversos, que, muitas vezes, oferecem risco e, portanto, exigem que estejamos prontos para ajudá-los da melhor forma possível.

Por mais que tentemos evitá-los e preveni-los, acidentes são infortúnios que acontecem quando menos se espera, e ter consciência disso é o primeiro passo para que você esteja preparado para enfrentar uma situação emergencial com seu animal. Devemos focar em levá-lo ao veterinário com segurança para que este possa atendê-lo mais rápida e adequadamente.

Aproximando-se de um gato ferido

Diferentes tipos de acidentes e emergências, geralmente, têm algo em comum: a dor. Animais tendem a apresentar alterações de comportamento, tornando-se agressivos e desconfiados com qualquer pessoa que tente chegar perto nesses momentos. Essa informação é extremamente importante, pois até o mais mando e tranquilo pode, nessas horas, ter atitudes totalmente opostas ao habitual. E os gatos possuem armas que podem utilizar e o fazem: quatro patas, muitas garras e uma boca cheia de dentes afiados! Com esse arsenal, eles estão prontos para arranhar ou morder qualquer um que tente se aproximar, pois, após um acidente, ficam assustados e com dor, e veem qualquer aproximação como uma possível ameaça. Então, para evitar que outro acidente aconteça, precisamos, inicialmente, trabalhar a aproximação.

Meu gato se machucou e está com dorFique tranquilo

Manter a calma é um fator essencial e passar essa tranquilidade para o animal é mais importante ainda, pois ajudará muito nos primeiros socorros. Nesse momento já é possível identificar se ele reagirá bem á ajuda ou se está com medo e agressivo. Muitas vezes a aproximação direta pode desencadear uma reação indesejada, portanto faça-a lentamente. Não tente abraçá-lo, apesar de a intenção ser boa, isso poderá assustá-lo ainda mais e causar dor. Durante essa fase tente mantenha perto de você alguns itens que poderão ser úteis durante a manipulação como uma toalha ou panos de tamanhos suficientemente grandes para envolver o animal, além de um telefone para avisar o veterinário com antecedência, pois isso permite que, quando chegar a clínica, todos já estejam preparados para atendê-lo prontamente.

Avalie o estado do bichano

Após obter sucesso na aproximação, está na hora de fazer uma avaliação do estado geral do animal. Saber se a emergência de seu gato deveu-se a envenenamento, intoxicação, briga com outros animais, atropelamento ou queda é informação de extrema importância para o veterinário, pois é a partir dela que o profissional saberá quais exames pedir e qual tratamento é mais adequado. Acidentes traumáticos, como atropelamentos e quedas, são comuns e podem envolver feridas, fraturas e hemorragias. Por isso, não tente fazer com que o gato se movimente, já que qualquer ação brusca, como tentativa de fuga ou manipulação mais vigorosa, poderá levar a complicações.

Lesões traumáticas e intoxicações podem causar danos ao sistema nervoso central com a ocorrência de quadros convulsivos. Se seu animal apresentar uma convulsão evite colocar seus dedos próximos á boca dele, pois ocorrerão contrações involuntários dos músculos envolvidos na mastigação e você poderá ser ferido. Marque a duração da convulsão, quantas ocorreram e qual foi o intervalo entre uma e outra. Essas informações deverão ser passadas para o veterinário no momento da consulta.

Transporte o gato ferido com segurança

Para levá-lo até a clínica, o adequado é utilizar uma caixa específica para transporte de animais, mas adaptações poderão ser feitas com caixas de plástico ou de papelão. O importante é colocá-lo em uma área limitada para reduzir o risco de outras lesões, mas que tenha tamanho suficientemente grande para mantê-lo deitado, ou em outra posição mais confortável. Atente-se sempre para entradas de ar.

O uso da caixa também evita que o gato seja manipulado desnecessariamente. Para colocá-lo dentro, quando cooperativos e dependendo do acidente, posicione-se atrás do animal e coloque uma das mãos entre os membros dianteiros do animal, apoiando o peito na palma da mão, ou , como a mãe faz com os filhotes, pegue-o pela parte dorsal do pescoço com uma mão apoiando os membros posteriores com a outra, caso seja necessário. Se o animal estiver muito agitado e agressivo espere ele se acalmar.

Meu gato se machucou e está com dorToalha ou pano grande podem ser úteis nesse momento para envolver o animal, pois restringem os movimentos das patas para que você não seja arranhado. Se houver suspeita de lesões mais graves, como traumas na coluna vertebral, o ideal é que o bichano seja transportado sobre uma superfície plana e rígida, esta deverá ser colocada, delicadamente, sob o animal, mantendo-o deitado do mesmo lado que foi encontrado. Ele deverá ser imobilizado com o auxílio de um lençol ou um pano que envolva a prancha e o animal.

O que não se deve fazer

Não tente remover qualquer objeto que, por ocasião do acidente, esteja inserido no gato, como pedaços de ferro, madeira, etc, pois esse procedimento só deverá ser realizado pelo médico veterinário. Se localizar um ponto de sangramento excessivo utilize um pano limpo para fazer uma leve pressão no local e evitar maior perda de sangue. Panos sujos não devem ser utilizados porque podem causar infecção, e não queremos mais problemas para nosso animal, não é mesmo?

Outra observação muito importante: nunca administre medicamentos ao animal sem que haja recomendação de um médico veterinário. É comum pessoas darem remédios de humanos para os gatos, causando graves problemas, muitos deles irreversíveis. Algumas administram remédios para animais, mas ainda que seja medicamento veterinário, muitas vezes ele pode não ser o mais indicado para determinada situação, ou pior, pode ser totalmente contraindicado. Assim sendo, mesmo que o gato esteja incomodado e com dor, aguarde até orientação de um profissional.

Todos esses cuidados descritos previamente podem evitar que o quadro se complique e, até mesmo, ajudar no processo de recuperação do animal. Lembre-se: o mais importante é manter a calma e estar ciente de que seu gato depende de você nesse momento decisivo, então esteja preparado para ajudá-lo da melhor forma possível.

♣Mariana Paranhos, Médica veterinária
Pulo do Gato.


Deixe uma resposta

3 pensamentos em “Meu gato se machucou e está com dor